11 3892 0870 ou 97637 0700 WhatsApp

Category: Uncategorized

22
mai
16
mai

Manutenção nos sistemas de CO2 e saponificante

 

Manutenção nos sistemas de CO2 e saponificante

post CO2 EMKT 1605 leve

 

09
mai

Manutenção nos sistemas de CO2 e saponificante

 

 

 

post CO2 EMKT 1605

 

 

 

 

 

 

 

 

 

11
dez

São Paulo toma medida inovadora pra consumir e poluir menos com iluminação pública

Lâmpadas com a tecnologia LED emitem uma brilhante luz branca que une a alta durabilidade com eficiência energética. Além disso, é muito mais barata do que as incandescentes e tem maior fluxo luminoso por unidade de energia consumida. Para se ter uma ideia, uma lâmpada LEDpode durar até 100 mil horas.

Pensando na eficiência do produto, a Prefeitura de São Paulo anunciou no início dessa semana que vai trocar toda a iluminação da cidade por lâmpadas de LED em um período de cinco anos. A tecnologia vai garantir, além de menos poluição, maior segurança na iluminação em relação às lâmpadas antigas. O mais interessante, é que o cidadão não vai precisar ligar para nenhuma companhia de energia para avisar que uma lâmpada queimou. O mecanismo vai permitir um sistema de telegestão, onde haverá pessoas controlando toda a rede à distância.

O Tribunal de Contas do Município liberou o projeto que terá licitação aberta a partir de janeiro de 2016, quando 618 mil luminárias terão suas lâmpadas trocadas. Além disso, o edital conta com uma parceria público-privada, na qual o contrato poderá chegar em R$ 7 bilhões. Com isso, São Paulo entra no conceito de cidade inteligente, automatizando a gestão dos serviços.

Highway_401_Night_Lapse_Busywikimediacrop

Foto © HighwayNightLapseBusy/wikimediacommons

ledcrop

Foto: Divulgação/Unicoba

light-emitting diode wikimediacrop

Foto © light-emittingdiode/wikimediacommons

 

Fonte: http://www.hypeness.com.br/

10
dez

8 DUNAS IMPERDÍVEIS PELO BRASIL QUE VOCÊ PRECISA VISITAR PELO MENOS UMA VEZ NA VIDA

Quando for montar a lista de desejos de viagens, lembre-se sempre de que o Brasil é um dos melhores países para se explorar. Cada região tem suas particularidades, mas todas estão cercadas pelas maravilhas da natureza. Se aventurar em dunas imperdíveis pode ser tudo o que você precisa na próxima viagem.

O Nordeste lidera o número de dunas no país, reunindo várias delas em locais de difícil acesso e, consequentemente, paradisíacos e selvagens. Mas a região Sul e o Norte também entram na lista com boas opções para você se aventurar, cair em águas doces e praticar o sandboard. Olha só quantos lugares incríveis:

 

1. Lençóis Maranhenses

Um dos lugares mais surreais do país e também um de seus lugares mais famosos, Lençóis Maranhenses é formado por lagoas doces que chegam a 90 metros de comprimento e até três metros de profundidade. Experimente praticar sandboard e aproveite para ver o pôr-do-sol.

LencoisMaranhenses

Foto via

 

2. Genipabu

O parque ecológico em Extremoz, Rio Grande do Norte, está cercado de atrativos. Praia, lagoa, grandes dunas – que chegam a ser consideradas as mais altas do país – e uma área de proteção ambiental tornam Genipabu um destino imperdível. Passeie de buggy “com” ou “sem emoção” e divirta-se!

Genipabu

Foto © 

 

3. Jericoacoara

Um dos destinos queridinhos nos últimos tempos, Jijoca de Jeriocoacara está a 300 km de Fortaleza. O final da tarde é disputado na Duna do Pôr do Sol, que tem 30 metros de altura, quando as dunas mudam de cor gradativamente e o astro se põe no mar.

Foto © Yuri Kiddo

 

4. Dunas da Joaquina

Em 1986, as dunas da Joaquina, em Florianópolis, foram o berço do surf de areia, chamado de Sandboard. Pranchões de madeira passaram então a servir para descer as dunas, servindo como aulas práticas de surf antes mesmo dos aprendizes enfrentarem as ondas.

Joaquina

Foto via

 

5. Siriú – Garopaba

Outra atração turística famosa em Santa Catarina, Garopaba está a apenas 90 km de Floripa e reúne famílias em suas belas praias de águas tranquilas. A 9 km ao norte dali estão as Dunas de Siriú, que tem quase 5 km de extensão e são ideais para a prática de sandboard.

Siriu

Foto via

 

Piacabucu

Jalapao

Foto via

Fonte: http://www.hypeness.com.br/

03
dez

Você sabe qual extintor utilizar em cada situação?

Quantas vezes já nos deparamos com extintores de incêndio no dia a dia. Ter a mão um extintor numa situação de início de incêndio pode ser de grande ajuda para evitar que o fogo tome proporções catastróficas. Mas o que poucos se apercebem é que existem diferentes tipos de extintores que devem ser usados em situações específicas.

Se a rede elétrica do escritório pegou fogo, por exemplo. O que aconteceria se você jogasse água na tentativa de combatê-lo? A chance de acabar provocando um choque elétrico, pelo uso da água, aumentaria significativamente. Por isso, saber usar o extintor pode evitar que ao tentar apagar um incêndio a situação acabe ficando pior.

Mas quando usar um extintor de pó químico, à base de espuma ou mesmo água? Para entender qual extintor usar é necessário primeiro saber o que está pegando fogo.

O fogo é dividido em classes que vão de A a D. O classe A acontece em materiais sólidos que deixam resíduos como madeira, papel. O B é o fogo em material líquido inflamável. Classe C é o fogo em material energizado e o D em metais inflamáveis.

E os extintores? Os mais comuns podem ser de pó químico, que pode ser usado para incêndios classe A, B e C; água pressurizada para a classe A; gás carbônico é usado em incêndios classe B e C; pó químico seco para a classe B e C; e pó químico especial para incêndios classe D.

Quando é obrigatório ter o extintor?

Edificações de modo geral, com exceção das edificações residenciais unifamiliares.

Como usar o extintor

Antes de utilizar um extintor deve-se estar atento a sua validade e verificar o pon­teiro no indicador de pressão que não deve estar na faixa vermelha. Ao manusear um extintor este deve permanecer na posição vertical,depois deve ser retirado o pino de segurança e em seguida a alavanca deve ser pressionada para liberar o agente extintor. Para o fogo classe A o jato do extintor deve ser direcionado para base, já para os de classe B, C e D o jato do extintor deve envolver a chama, ou ser direcionado sobre ela e nunca na base.

Incêndio em residências

Devido a diversidade de materiais que poderiam dar inicio a um incêndio numa casa, todo cuidado é pouco, mas as causas mais comuns de incêndios em residências são por sobrecarga e improvisações nas instalações elétricas; vazamento de gás; crianças brincando com fogo; fósforos e pontas de cigarros atirados acesos descuidadamente ; e, material inflamável abandonado em local inadequado.

Incêndios em edificações

Em incêndios de grandes proporções deve-se tomar cuidado com o calor e principalmente com a fumaça, pois, esta pode se tornar altamente tóxica por conta dos materiais queimados.

 

E quando não tiver o extintor

Na ausência de um extintor de incêndio existem três técnicas que podem ser usadas para extinguir o fogo, são elas:

(1) Fazer a retirada do material que está pegando fogo ou do material próximo ao fogo evitando que este se propague;

(2) Fazer o abafamento do material que está queimando para diminuir o oxigênio, que alimenta o fogo; e

(3) E, resfriando o local incendiado, que pode ser feito com uso de água, exceto os incêndios classe C.

Prevenir ainda é o melhor

As dicas a seguir podem ajudar a deixar a sua casa ou local de trabalho mais seguros:

  • Evite fumar em local proibido e jogar pontas de cigarro ou palitos de fósforo acessos em cestas de lixos e beiras de estradas;
  • Evite grande estoque de material inflamável, e sempre os deixe guardados em local apropriado;
  • Evite sobrecarregar tomadas elétricas (não usar o Benjamim);
  • Nunca deixe a mangueira do gás passando atrás do forno do fogão;
  • Ao acender velas deixe-as em locais seguros;
  • Cuidado com fósforo e isqueiros, para que não vire brinquedo de crianças.

Chame o Corpo de Bombeiro

Se um incêndio for iniciado e estiver descontrolado busque de imediato a ajuda dos Bombeiros pelo número 193. Quanto antes eles forem acionados os estragos serão menores.

 

Fonte: http://www.araguainanoticias.com.br/

30
nov

Dicas de Segurança contra incêndio.

Todos nós somos interessados e responsáveis por manter nossos lares e locais de trabalho em segurança. Para isso, precisamos descobrir os riscos e eliminá-los. É importante também conscientizar toda a família e os funcionários da empresa em que trabalhamos.

Recomendações Preventivas Contra Incêndio e Acidentes

  • Não use cestos de lixo como cinzeiros.
  • Não jogue pontas de cigarro pela janela, nem as deixem sobre armários, mesas e prateleiras.
  • Não fume ao lidar com álcool, cera, parafina, solventes ou material de limpeza em geral.
  • Respeite as proibições de fumar e acender fósforos em locais sinalizados.
  • Evite o acúmulo de lixo em locais não apropriados.
  • Coloque os materiais de limpeza em recipientes próprios e identificados.
  • Não deixe os equipamentos elétricos ligados após sua utilização. Desconecte-os da tomada.
  • Ao utilizar materiais inflamáveis, faça-o em quantidades mínimas, armazenando-os sempre na posição vertical e na embalagem original.
  • Não improvise instalações elétricas, nem efetue consertos em tomadas e interruptores sem que esteja familiarizado com isso.
  • Não sobrecarregue as instalações elétricas com a utilização de “plugues T” ou extensões. Procure um profissional com conhecimento técnico.
  • Verifique, antes de concluir seu trabalho, se os equipamentos elétricos estão desligados.
  • Observe as normas de segurança ao manipular produtos inflamáveis ou explosivos.
  • Mantenha os materiais inflamáveis em locais resguardados e à prova de fogo.

 

Fonte: CARTILHA DE ORIENTAÇÕES BÁSICAS – CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO: http://www.corpodebombeiros.sp.gov.br/internetcb/Downloads/Cartilha_de_Orientacao.pdf

26
nov

Inspeção visual de extintores de incêndio

Extintores de incêndio realizam uma função vital, pois oferecem uma primeira linha de defesa contra incêndios em um ambiente doméstico, local de trabalho ou outro ambiente. É preciso inspecionar visualmente os extintores de incêndio em uma base mensal, descobrindo problemas com um extintor antes que precise contar com ele em caso de emergência.

Medida

Extintores de incêndio contêm material pressurizado, portanto, contam com um medidor de pressão montado na parte externa. Deve-se verificar o medidor durante uma inspeção visual para garantir que o material dentro dele ainda esteja devidamente pressurizado. Se a agulha no medidor apontar pra fora da faixa verde no indicador, o extintor deverá ser recarregado por umprofissional de manutenção de equipamentos de incêndio, com a maior brevidade possível. Você pode encontrar uma loja que faça esse serviço, procurando por “manutenção de extintor de incêndio” em sua lista telefônica local ou na internet. Extintores de pressão não devem ser pesados ​​para determinar se está cheio ou se ele precisar ser recarregado em parte ou totalmente.

Pino e selo

Antes que qualquer um possa usar um extintor de incêndio, a pessoa precisa retirar um pino de metal para poder apertar o acionador do extintor. A ação de apertá-lo quebrará um selo inviolável de plástico, o que também indicará que o extintor foi usado. Um extintor usado precisa ser recarregado e inspecionado em uma loja de equipamentos de materiais de incêndio mais cuidadosamente para garantir que funcionará corretamente no futuro.

Mangueira e esguicho

As mangueiras dos extintores são normalmente feitas de borracha e podem se desgastar ao longo do tempo e pela exposição ao sol ou calor. Verificar se a mangueira tem fissuras ou outros sinais de desgaste ajudará a prevenir vazamentos quando alguém usar o extintor, pois eles diminuem o alcance do extintor e a quantidade do material que atinge o fogo. O esguicho da mangueira também pode rachar ou secar, o que torna a pulverização incontrolável e mais difícil de ser apontada com precisão. Um técnico de manutenção de equipamentos de incêndio pode substituir a mangueira e o esguicho.

Cilindro

O cilindro de metal de um extintor de incêndio deve estar em excelente forma, uma vez que os problemas com essa peça podem levar a falhas no funcionamento do extintor. Problemas como dentes no metal, pontos de ferrugem, o acúmulo de produtos químicos, vazamentos de qualquer tamanho ou qualquer outro dano ao metal precisam ser verificados por um técnico de manutenção de equipamentos de incêndio. Os técnicos devem ser certificados pelo corpo de bombeiros da sua cidade ou estado.

fonte: http://www.ehow.com.br/extintores-incendio-vencidos-estrategia_328092/

Top